Atualidades, mundo, conteúdos diversificados.

Arquivo para a categoria ‘Educação’

Meu mundo de cabeça para baixo.

Olá leitores e amigos do Priper3.

Quero compartilhar com vocês a emoção de ser mãe. E como nossa vida vira de cabeça para baixa. Vou confessar não sou uma ótima dona de casa e sou uma bobona. Mas ao me tornar mãe cresci muito como mulher apesar de parecer uma menina. Meu filho hoje está com seis anos e são os seis melhores anos da minha vida. Com ele aprendo a cada dia o conceito de amor esse mesmo amor incondicional o mais puro e emocionante amor que existe no mundo. Amar apenas por amar e não viver um segundo se quer sem pensar no que fazer por essa pequena razão de nossa felicidade. Lógico que nem tudo é mar de rosas tem as preocupações, os medos, os exageros, as brigas do dia a dia e assim vai …

Nossos planos ficam para depois a única coisa que vale a pena é amar e ser amada por ele o mundo começa a girar de forma diferente e voltamos a aprender a aprender sobre tudo na vida, as lições são outras, os conhecimentos também  e  tudo que você pensava que sabia começa a entender que não era nada perto do que está por vim. O coração segue apertado e todas as novidades começa a florescer um sentimento esplêndido e você já não sabe mais nada da vida.

Ser mãe nesses seis anos foi ver minha vida girar e girar, o amor crescer e florescer ver meu filho se desenvolver é me ver crescer junto a ele. Deixar minha vida para depois e ficar com ele, me fez enxergar que não existe nada nesse mundo que seja mais importante do que ele. Eu deixaria tudo como esta para continuar curtindo cada desenvolvimento seu mesmo meu mundo sendo de cabeça para baixo.

20160610_155436

Dia das Crianças.

Fazer uma criança feliz tornar se um dia especial, foi meu objetivo e de alguns amigos neste dia especial para os pequeninos.

No dia 11 de outubro de 2008 comemoramos juntos a crianças carentes aqui de minha cidade o dia das crianças, foi mais uma experiência maravilhosa, depois de três anos de faculdade trabalhando em uma escola aos finais de semana, aprendi muitas coisas que não será esquecida.

A festa atingiu nosso objetivo trazer alegria a quem necessita, conviver um pouco com outra realidade que nos rodeia, fazer a diferença na vida de quem não espera nada dela. A idéia de fazer algo para as crianças surgiu de uma amiga que assim como eu sonhava em fazer algo grandioso à crianças carentes, agarramos a idéia e corremos atrás.

Como temos vários contatos conseguimos tudo o que precisávamos para realizar este evento que foi muito gratificante para nos realizar este sonho, pois ver felicidades nas crianças valeu todo o esforço de uma semana e meia indo atrás de tudo.

A criação do Dia das Crianças no Brasil foi sugerido pelo deputado federal Galdino do Valle Filho na década de 1920. Arthur Bernardes, então presidente do Brasil, aprovou por meio do decreto de nº 4867, no dia 5 de novembro de 1924, a data de 12 de outubro como o dia dos pequenos.

Vale a pena dar uma olhadinha neste video, refletir um pouco no que acontece do outro lado.

Uma nova Realidade Brasileira

Quem fecha os olhos para a realidade, fecha a porta da esperança para um mundo melhor. Você já parou para pensar e se perguntar por que o mundo está desse ou daquele jeito, as guerras escondidas às vistas, pessoas desalmadas, miséria, fome, crianças se tornando marginais, escolas sem um mínimo de cultura???

Enfim você concorda com tudo isso é a pergunta que me faço sempre será que a população fechou os olhos para nossa realidade, o que será que podemos fazer para mudar isso. Pois bem chegam respostas infinitas diante dessa realidade, não sei para onde ir onde começar e nem ao menos se faço a diferença fica uma pergunta incerta, insegura de qualquer possibilidade de mudança simplesmente porque a maioria fecha os olhos e age como se nada estivesse acontecendo.

Essa realidade constrói muros altíssimos diante de nossos olhos que não conseguimos ver o outro lado, me pergunto será esse o problema maior da nossa realidade. Pergunto-me o que fazer para mudar isso ou aquilo quanto tempo me levaria para montar algo brilhante que alcance o outro lado desse alto muro???

Poderíamos trocar todos os políticos assim novas mentes fresca uma nova realidade, retirar todos aqueles que querem sempre se eleger com um único objetivo roubar aquele que confiou seu voto a ele, isso seria um sonho, será uma nova realidade? Penso não tenho uma resposta apenas uma esperança para ser mudada em quatro anos ou destruída após esse tempo.

A educação, construir novos caminhos ao longo da formação educacional dos professores, alunos pré-escolares entre outros. Começar a ver o mundo deste pequeno, uma nova esperança para saber como seria esse novo rumo para uma nova realidade, visões diferenciadas ao longo de seus estudos. A minha formação em Pedagogia  me faz crer que está possibilidade pela qual temos que lutar muito ainda, para se tornar um grande trabalho em grupo.

Não me refiro somente ao trabalho letrado, mas uma porção de situações, onde a criança desde pequena tenha capacidade de por si só seguir um novo caminho, saber as necessidades da modernidade sem ter uma obrigação, mais sabe que isso é necessário para seu futuro, ter uma visão da necessidade que o mundo pede cabeças críticas e bem posicionadas.

Hoje temos uma realidade bem diferente dos nossos pais assim como de nossos avós e será diferente a dos nossos filhos também, é assim que segue o mundo com descoberta a todo o momento, destruição a todo custo, pobre cada vez mais pobre, novas misérias chegando a todo lugar, crise daqui crise da li e estamos perdidos ao meio de um gigantesco globo que gira em torno do sol?.

Uma escola muito doida

Por estes dias vi um filme na sessão da tarde que me chamou atenção, pelo fato de tratar-se de uma escola ruim, maus alunos e um professor sonhador, por motivos maiores não assistir o filme na sessão da tarde procurei na internet e baixei, o filme é uma comédia, originada da High School High, direção de Hart Bochner, em seu elenco estão Jon Lovitz, Tia Carrere, Louise Fletcher, Merhi Phifer, Malinda Williams, Guillermo Díaz, Nastaha gregson Wagner, Eric Allan e kramerlu Elrod, lançado nos EUA em 1996, com duração de 85 minutos classificação livre.

Jon Lovitz é o professor Richard Clark, um idealista, deixa a escola particular na onde trabalha para lecionar num colégio que desfruta da reputação de ser tão “bom e tranqüilo” que tem seu próprio cemitério, mas Richard acredita que não existem bons e maus alunos, tudo é uma questão de estímulo e oportunidade estando disposto a mostrar que está certo mesmo que tenha que enfrentar a diretora e conquistar os alunos que estão muito interessados em namorar, brigar e aprontar do que em literatura, geografia entre outras.

Um pouco deste filme me mostrou a realidade da educação brasileira, professores recém formados com grandes idéias de mudar o cotidiano escolar, mas vem a se deparar com uma realidade, parecida com a do filme quando chega à escola não encontra espaço nem tempo para colocar em prática suas idéias muitas vezes se perdendo nas desilusões de outros educadores que já não tem a mesma preocupação, o filme traz a superação do idealismo do professor, formando poucos alunos mostrando que podem conseguir mudar sua realidade.

Um ponto muito importante é o da diretora a ferramenta fundamental para o funcionalismo da escola, a escola é nada mais do que, diretor, professor, alunos e membros que cuidam do bem estar da escola, fazendo o leque à cabeça mais importante vem a ser o diretor, mas com bons professores que acredita na escola esta realidade também pode ser mudada.

Um filme antigo, mais que traz algo que pode nos fortalecer e acreditar em acreditar em nosso trabalho para seguir, trazer e realizar um pouco dos nossos ideais. Não é um dos melhores, mas com muitos risos pode contribuir muito para seguirmos em frente.

Livros infantis ( em novos conceitos ).

Foi assim que eu li uma matéria que me chamou atenção em um site muito interessante BBCBrasil.com, segundo a matéria, na Suécia duas editoras estão fabricado livros infantis muito polêmicos, onde criança podem entrar em contato com um outro tipo de aprendizado, que desafia as famílias da nossa realidade, considerados livros liberais na onde o menino adora o cor de rosa e a menina ama o azul.

“Nosso objetivo é dar às crianças a liberdade de criar sua própria identidade, sem padrões pré-concebidos e sem preconceitos de sexo, raça e sexualidade”, disse à BBC Brasil a escritora Karin Salmson, co-fundadora da editora vilda.

Casos de pais que cuidam da casa e mãe que vão trabalhar ( isso já acontece mulheres conquistando seu espaço ), tendo em sua casa duas mães ou dois papais, casos de mãe ou pai solteiro que arrumam outros companheiros, estes livros vão trazer conceito de como uma criança pode crescer sem sofrer ou ter “algum tipo de conceito” estabelecido pela sociedade de certo ou errado diante uma relação entre duas pessoas.

Tem-se como objetivo “dar” a liberdade de uma escolha saudável para a criança decidir o que pode ser certo ou errado, sem conceitos preestabelecidos. Mas com certo cuidado de como devemos agir diante de tantas mudanças, para que uma nova realidade “não influencie” no seu novo processo de conceito de normal e anormal.

O foco maior foi saber a opinião de você leitor o que você acha dos livros Suecos, devemos ter e continuar com nossas infâncias ou devemos desde cedo instruir nossos pequenos num mundo de conflitos, na onde não se tem um conceito de família um lar uma vida “normal”, o que seria isso para eles devemos instruir livros com conceitos “normais” ou  a nova geração que pode ser deus nos “acuda” ( modo de dizer). Você tem algo a dizer?…

Educação Brasileira.

A decadência da autoridade ou falta de habilidades profissionais, como posso começar a dizer a vocês o meu desespero em relação à educação brasileira a falta de respeito que os alunos têm em relação a professores em especial a diretores e funcionários, alem da minha formação em pedagogia já mencionei a algum tempo que a sala de aula não é meu forte, mas por estes dias presenciei um ato de falta de respeito e ate mesmo de habilidades educacionais do gerenciamento de uma entidade escolar.

Posso assim colocar meu ponto de vista que poderia ter desacreditado do que eu estava vendo, adolescente que estudam na parte noturna de certa escola numa certa cidadezinha, são pessoas que certamente trabalham e queiram terminar o ensino médio, caso contrario não teriam nenhuma obrigação de estar na escola a não se os pais os obrigassem.

Pois bem dizendo como uma pessoa capacitada formada e bem “culta”, dirigente de uma entidade escolar, tem a capacidade de sair gritando e insultante os seus “cliente” será que ela está certa me pergunto ao longo do ato que vejo, ela pode ter seu motivos para tamanha agressão, mais penso comigo, mas será que depois de um tempo que uma pessoa se encontra na gestão de uma escola, chaga uma hora que ela não consegue mais lidar com os problemas da escola e pode não ter mais condições psicológicas para estar a frente de uma gestão?

A esse ponto voces devem estar pensando, também com tanta falta de recurso programas novos sendo implantando sem o mínino de recurso para serem bem atuados, as entidades escolares não tem verba suficiente para atender e estruturar bem a escola, os professores, diretores e funcionários não ganham o suficiente, para procurar melhorar a estrutura educacional, na qual o educador tem que trabalhar com aproximadamente 45 alunos em uma sala, a escola com 15 salas, três períodos, não é fácil, contando que se tem falta de servente para atuar na organização da escola.

Contudo isso, ainda me formei em pedagogia e acredito na educação e somente ela pode chegar a mudar a realidade em que vivemos, não me refiro somente a educação escolar mais a educação de pais que acha que a entidade escola tem que “educar” seu filho, eu entrei apenas em uma sala de aula para fazer estágio, não dei aulas ainda, mais se um dia eu chegar a lecionar tenho a certeza que só irei mesmo se me sentir capaz de executar a minha função de educadora mudando a realidade dos pequeninos seres que estarão ao meu lado.

Sei o quanto é difícil lidar com adolescente mais se for isso que você escolheu é o que gosta então mude essa realidade antes que ela mude você, antes de julgar, procura ajudar primeiro, mesmo assim se não der certo não desista, insista, pode ser difícil mais pense que não será impossível, tente sempre colocar amor naquilo que faz e procure ao máximo não ficar louca e impotente, não retire o desejo do outro em tentar mudar a realidade a sua volta simplesmente por que você não conseguiu.

A educação brasileira está com uma enorme decadência na formação do profissional que atua na escola, temos sim muitos professores e diretores bons que honra com dignidade a sua profissão, mais infelizmente são pouco perto daqueles que não tem o compromisso de entrar na escola e fazer o mínimo de sua obrigação.

O que é ser Pedagogo.

pedgga.jpg

Há algum tempinho que acabei a faculdade de pedagogia, pela qual passei três anos da minha vida tentando entender à psicologia infantil, trabalhei alguns meses em cima da minha monografia, na qual, tinha o tema: A Psicanálise dos Contos de Fadas na Educação Infantil, não foi muito fácil, mais depois de três anos sem ter um pouco de vida pessoal e sem tempo estou aqui formada tentando algo que possa ser útil para minha formação.

Muita duvida tive, ao longo de minha formação, entre ela o papel do professor na vida de seu aluno pela qual reservo um pouco do meu tempo para trabalhar com vocês. Muitos me perguntam se vou lecionar aula, digo que não sei se um dia chegarei a enfrentar uma sala de aula, me perguntam então o porquê fiz o curso de pedagogia, descobri que o curso pelo qual sou formada me reserva muito mais do que uma simples sala de aula.

Voltando ao papel do professor agora sendo Pedagogo, para que e o porquê ter, ser um pedagogo, profissão que necessita de amor, respeito e responsabilidade, tendo como base os quatros pilares da educação: aprender a aprender, aprender a ser, aprender a fazer e aprender a conviver, servindo de base para a pedagogia.

O pedagogo precisa sempre estar atualizado, não se pode formar e estacionar em uma escola hoje ele precisa muito mais do que pegar na mão do aluno e ajudar ele a escrever, tem se como objetivo formar um cidadão críticos capazes de mudar a sociedade pela qual vivemos, tem que estar sempre aprendendo seja com seu aluno, com seu companheiro de trabalho, com a família ou com o amigo, apesar de que estes pilares da educação servem de base para tudo que se tem hoje, umas das causas pela qual a profissão de pedagogo tem aberto novos caminhos.

Ser pedagogo não significa só atuar em escola ou sala de aulas, tem que ser muito mais além, acima de tudo, precisa estar acompanhando tudo a nossa volta a historia muda a cada dia, não deixando para traz nossas raízes mais sim atualizando nossos conhecimentos e aprendendo a cada dia um novo jeito de compreender a vida.

Pedagogo vem de Pedagogia que é a ciência ou disciplina cujo objetivo é a reflexão, ordenação, a sistematização e a crítica do processo educativo, sua palavra tem origem na Grécia antiga, paidós (criança) e agogé (condução). O profissional cuja formação é a Pedagogia, no Brasil é uma graduação da categoria Licenciatura ou Gestão Escolar (administração escolar, orientação pedagógica e coordenação educacional). Devido a sua abrangência, a Pedagogia engloba diversas disciplinas, que podem ser reunidas em três grupos básicos: Disciplinas filosóficas, Disciplinas científicas e Disciplinas técnico-pedagógicas.

Acesse http://priper.com.br/o-que-e-ser-pedagogo/ deixe seu comentário.